O SEGREDO PARA EXECUTAR DOIS FORTES GOLPES DA ARTE COM PERFEIÇÃO

Defensor da prática não competitiva, mestre Altair Araújo ensina o segredo para executar dois fortes golpes da arte com perfeição

Sensei Altair prega que não existe idade para praticar a arte marcial. “Temos um faixa preta que começou aos 33 anos. Não existe faixa etária para a prática do judô”, afirma. Para ele, os benefícios vão além de melhorar a auto-estima do praticante. Para cada etapa da vida, o esporte tem um valor:

Infância: educação complementar. O que os pais não conseguem fazer, o professor consegue. Um exemplo disso é comer verduras. “O pai diz para o filho que tem que comer, já o professor diz que para ficar forte como o professor, tem que comer”, explica.

Adolescência: guia de caminhos corretos. Ele vai trabalhar e desenvolver o respeito e a disciplina.

Fase adulta: válvula de escape. É um meio de se manter bem física e mentalmente.

Curiosidade

Os princípios que inspiraram Jigoro Kano – fundador do judô (1882) – quando ele idealizou a arte marcial foram:

  • Máxima eficiência com o mínimo de esforço (Seiryoku Zen’Yo)
  • Prosperidade e benefícios mútuos (Jita Kyoei)
  • Suavidade, ou seja, o melhor uso de energia (Ju)

Saiba mais

O judô possui cinco fundamentos:

  • Shinsei (postura);
    • Shisentai, que é a postura natural do corpo;
    • Jigotai, a postura defensiva;
  • Shintai (movimentação):
    • Aiumy-ashi, andando normalmente;
    • Suri-ashi, andando arrastando os pés;
  • Tai-sabaki (giros do corpo):
    • mai-sabaki (para frente);
    • ushiro-sabaki (para trás);
    • yoko-sabaki (para os lados);
  • Kumi-Kata (pegadas): existem inúmeros tipos, mas algumas não são aceitas pela CBJ e são punidas com Ransoku-Make – qualquer pegada da cintura para baixo, com exceção do atleta que está em ne-waza que pode pegar no que está em tachi-waza ou pegada cruzada.
  • Ukemi (amortecimento de quedas): os “rolamentos” são fundamentais para a segurança do praticante. A física explica: estas técnicas dissipam a energia cinética que, se fosse transferida na sua totalidade para os órgãos internos, poderia causar prejuízo à saúde.

Agradecemos ao Sensei José Agostinho Jacomelli – Mestre Faixa Preta 3º DAN, presidente da Associação Ituporanguense de Judô – pela preciosa colaboração sobre Kumi-Kata, conforme as regras da CBJ (Confederação Brasileira de Judô).